Tradutor / Translator


English French German Spain Italian Dutch Russian Portuguese Japanese Korean Arabic Chinese Simplified

Pe. Fábio de Melo e as "fabietes" - Algumas considerações


"O povo quer meu coração de padre" Pe. Fábio de Melo
Exatamente, padre... É só o que queremos...

No último domingo, o Pe. Fábio de Melo foi entrevistado pela Maria Gabriela em seu programa no SBT. Como esperado, Pe. Fábio falou de modo fluido e, dentre as coisas que ele disse, a maior parte ficou muito bem dita. As declarações em que o padre foi feliz, no entanto, não anulam a gravidade dos seus erros. Destes, o pior foi a afirmação de que Jesus queria o Reino de Deus, mas nós só pudemos dar a Igreja a Ele. Uma afirmação rápida, que podia facilmente passar despercebida no contexto da conversa. Porém, uma afirmação grave, de consequências funestas e que, além de tudo, já consta no histórico de condenações dogmáticas da Igreja. É, portanto, uma heresia formal.

Pois bem. Depois do ocorrido, resolvi escrever um artigo comentando sobre os erros já comuns do Pe. Fábio. Quando alguém decide fazer algo assim, porém, se torna vítima fácil dos fãs do referido sacerdote que se juntam a defendê-lo. Nesta empresa, é frequente que abandonem o jeito melífluo que aprenderam do Pe. Fábio e passem a imitar, antes, os modos mais enérgicos do Olavo de Carvalho, inclusive no seu recorrente costume de mandar os seus contendores irem fazer uma visita nos países baixos, ou, se preferirem, na porta dos fundos.

Quero, primeiramente, dizer que a simpatia que devotam pelo Pe. Fábio é, em alguma medida, participada por mim. No entanto, isto não nos deve fazer fechar os olhos para os seus erros objetivos. Nós, enquanto católicos, devemos viver consumidos de zelo pela Igreja. Uma Fé correta é fundamental, pois nos fala da verdade sobre Deus. Ao professarmos uma heresia, que estamos a fazer? Estamos obscurecendo a imagem de Deus na inteligência das outras pessoas de modo que, aqueles que aderem este erro, terminam por ter na consciência uma imagem de Deus que não corresponde à realidade. Ora, o homem foi feito para Deus. Por isso, é de fundamental importância que o seu conhecimento sobre Deus seja o mais exato possível, pois um conhecimento equivocado tem como consequência o dificultamento do acesso a Ele. Por isso também que o Cristo deixou a Igreja para cuidar da pureza na transmissão deste conhecimento e combater, desde o início, todas as heresias que tentassem distorcer a verdade.

Só pra termos uma idéia, quando João evangelista escreve o seu Evangelho, ele o faz já combatendo uma heresia que havia surgido no século I, o movimento dos docetas. Estes hereges diziam que o corpo de Jesus era apenas uma aparência, pois, sendo esta heresia uma variante gnóstica, tendia a enxergar a matéria como má em si. Logo, Deus não podia ter matéria. Para responder a isso, João escreve: "O Verbo se fez carne", isto é, a Encarnação foi real. Note que, desde o início, a Igreja combate os erros contrários à Fé.

E se formos observar toda a história da Igreja, veremos que as maiores heresias surgiam de padres, bispos, etc. Portanto, não é nenhuma novidade para a Igreja que um padre ou um bispo defendam heresias. Porém, se ele o faz, é importante que todos os católicos defendam a doutrina verdadeira abertamente. É o que fazemos, aqui. No entanto, as fabietes parecem ficar cegas porque o seu objeto de culto foi atacado e, ao invés de se aterem aos argumentos, passam a incorrer naquilo mesmo de que nos acusam: os julgamentos de intenção, os xingamentos, etc. Nada disso nos incomoda, mas é preciso esclarecer as coisas.

O primeiro ponto de que nos acusam é o de julgar o padre, quando está claro que Jesus pediu para que não julgássemos ninguém. Mas veja: se não é possível julgar a ninguém em nenhum sentido, que vocês fazem vindo aqui e nos julgando? Além disso, quer dizer que ninguém mais pode falar nada sobre ninguém? Não é possível chegar para alguém que está imerso no pecado e dizer: "você está errado. Saia daí"? É óbvio que isso não é cristianismo. Se há uma coisa que mudou a partir do momento em que Nosso Senhor veio à terra e nos esclareceu sobre as coisas é que acusar o erro não é mais somente uma recomendação, mas se nos tornou um dever estrito. Jesus é a luz do mundo. Com a luz, fica tudo claro. Portanto, se vemos o erro e não o acusamos, tornamo-nos cúmplices morais pela negligência. E só podemos afirmar que um ocorrido é certo ou errado se, de algum modo, julgamos as situações, pois julgar é meramente fazer afirmações a respeito de algo.

O que é que Jesus nos proíbe, então? Ele nos proíbe o julgamento de intenção, isto é, não nos é permitido dizer qual é a intenção do padre com essas entrevistas. Ele quer aparecer? Ele quer se mostrar cool? Ele quer aumentar o número de fãs? Ele quer desorientar as pessoas? Todas essas afirmações se alheiam ao nosso horizonte de conhecimento, a menos que ele nos falasse diretamente sobre isso ou que isso se tornasse claro de algum modo. E o que é que nos é acessível? O teor objetivo daquilo que ele fala. E, objetivamente, aquilo que ele falou no que se refere à Igreja é errado, é herético, e ponto.

Todos deveríamos saber que o amor e a estima que se tem a uma pessoa não devem contrariar, mas, ao contrário, devem estar fundamentados na verdade e no bem objetivos. Por mais apreço que um católico possa ter ao Pe. Fábio, este apreço não pode fazê-lo cegar para os erros do padre sobre a Igreja, pois tais erros apenas aumentam a já imensa desorientação dos católicos hodiernos. Amar mais ao Pe. Fábio do que à verdade é um caso de idolatria, de cegueira, de fanatismo, de infantilidade, de pouca seriedade.

Portanto, o que devemos fazer diante de tal caso? Primeiro, segurar a onda: não é porque eu gosto de Pe. Fábio que vou fazer vista grossa aos erros dele. Depois, eu também não vou sair por aí ofendendo-o excessivamente. Tenhamos sempre diante dos olhos as gravíssimas advertências que Deus Pai faz a Sta Catarina de Sena sobre o trato com sacerdotes. Terceiro, precisamos rezar por ele e pelo clero porque, hoje em dia, é relativamente raro encontrar um bom padre. E, por fim, é preciso também esclarecer as coisas aos que, desconhecendo a natureza e os fundamentos da Fé Católica, poderiam ser ainda mais desorientados pelos erros açucarados do padre. E, no caso de pertinácia, isto é, de o Pe. Fábio, ainda que avisado dos seus erros, não se retratar e decidir manter-se em tais erros, nosso papel enquanto católicos deverá ser expô-lo publicamente como um inimigo da Fé. Peçamos a Deus que este último ponto não seja necessário, mas é o que recomendam os santos da Igreja no caso de hereges contumazes.

E, tendo esclarecido isso tudo, vamos deixar de frescuralhadas. "Minha gente", não permitam que a simpatia pelo padre provoque em vocês um "sequestro de subjetividade".. Que este amor excessivo, que lhes fecha os olhos da razão, não os roube de si mesmos.. hehehe..

Fiquemos, enfim, com este vídeo que, embora tenha um título meio "propaganda enganosa", será suficiente para esclarecer aos amigos do que é que estamos falando. Pax.

Blog Widget by LinkWithin

6 comentários:

  1. As pessoas confudem julgar com avaliar. Podemos avaliar uma conduta sem julgar a pessoa.

    ResponderExcluir
  2. Caro Fábio,

    Achei curioso o título de seu artigo e vim ler. Mas não vim aqui defender ou mostrar os erros do Pe Fábio, porque, assim como tantos outros padres, ele tem seus erros, uns mais leves, outros mais graves. Venho aqui "avaliar" sua conduta, assim como você "avaliou" a do Pe Fábio.

    Pois bem, já li outros artigo seus e vejo que você fala muito de heresia, e de fato, as pessoas tentam distorcer a verdade e a igreja católica fez isso muito bem, logo, não são as fabinetes que são cegas, mas nós católicos que somos. Sou católica até quando Deus me mandar mudar de religião, e depois que comecei a ler a bíblia e conhecer as verdades, passei a não concordar com muita coisa de nossa igreja. Os padres mesmo confessam que tem muita coisa errada e que não podem mudar porque causaria um grande tumulto e perderiam vários fiéis.
    E não é importante que todos os católicos defendam a doutrina verdadeira da igreja, mas é importante que defendam a doutrina que Deus nos deu. Pois não é a igreja que vai nos salvar e você sabe muito bem disso.

    “Nem todo o que me diz: Senhor, Senhor! entrará no reino dos céus, mas aquele que faz a vontade de meu Pai, que está nos céus. Muitos me dirão naquele dia: Senhor, Senhor, não profetizamos nós em teu nome? e em teu nome não expulsamos demônios? e em teu nome não fizemos muitas maravilhas? E então lhes direi abertamente: Nunca vos conheci; apartai-vos de mim, vós que praticais a iniqüidade.” (Mt 7. 21-23)

    A igreja tem a chave do Reino de Deus, mas fecha as portas e não deixam entrar quem deseja entrar, como Jesus mesmo disse em Mt 23.13, lê aí. Como é que pode uma igreja, serva de Deus, proporcionar uma festa dedicada a um santo, que por sua vez foi um servo de Cristo, que deu a vida por ele, que curou, anunciou, mas não vem dele nossa salvação?!

    La em Atos 14.12-13, mostra que quando o povo quis oferecer sacrifício e uma festa para Paulo e Barnabé por eles terem feito um milagres, eles, os apóstolos, rasgaram suas roupas em sinal de protesto e falou que eram apenas seres humanos, assim como nós. Quem fez o milagre foi Deus, por meio deles E a Deus é dado TODA HONRA E TODA A GLóRIA.

    ResponderExcluir
  3. Lá em apocalipse 22.8-9, João caiu aos pés de um ANJO para adorá-lo, e o anjo não aceitou e disse que ele também era um servo de Deus, assim como João e os outros irmãos.
    Respeito muitos os santos, porque eles foram servos de Deus e merecem toda a nossa ADMIRAÇÃO. Eles são exemplos a serem seguidos, com certeza. Mas eles estão adormecidos até que o Rei retorne e aí sim, ressuscitarão.
    Sendo assim, NÃO entendo o por que a igreja ainda faz isso. Pessoas fazem promessas aos santos, pagam sacrifícios a eles, sendo que eles NÃO vivem. Quem Vive é Cristo, que ressuscitou e pagou sacrifício por todos nós.

    Porque ninguém faz uma festa dedicada ao Senhor, nosso Deus, e ao seu filho, Jesus Cristo, o nosso Salvador??? Ninguém faz, e se faz eu nunca vi. Porque na procissão do dia 2, milhares de gente vai atrás da charola de Santa Maria Madalena e pouquíssima pessoa na do sagrado coração e Jesus? Milhares de GNT pagando sacrifício para os santos, e acho que ninguém pra Jesus. Lê lá em Amós 5.21.27, Deus mesmo diz que detesta certas festas religiosas.

    As pessoas não veem a Deus como Ele deve ser visto, e não o servem como Ele merece ser servido. Exaltam os santos, mas esquecem se exaltar o Rei dos Reis. E isso tudo de quem é a culpa? Da igreja é claro, porque são os ensinamentos dela que o povo tá seguindo.
    E falando de festas, como pode a igreja concordar de, numa festa religiosa, ter bandas com músicas mundanas, músicas que só falam de baixaria, de bebedeira, colocam a mulher lá em baixo e os homens como safados. Como pode em uma festa religiosa ter várias barracas de bebidas, onde os jovem compram e eles mesmo dizem , que o “bacana” é beber para ficar bêbado; E sabe o que vai ter muito nessa festa? Jovens e adultos bêbados, vai sair adultério, violências em geral, danças indecentes, e tantas outras coisas. Aí me diz: Deus estará presente em uma festa assim, onde só tem coisas que Ele mesmo disse que odeia ( uma das passagem é essa Galatas 5.19-21, mas tem outras passagens que fala desses pontos que citei agora). Tenho certeza que não, mas sabe quem vai estar com um exercíto lá? Satanás, fazendo tudo que não presta, tudo o que Deus odeia. Já que é uma festa religiosa, só deveria ter banda gospel, ou mais especificamente, católica onde o nome de Deus seria exaltado e louvado. Mas porque não tem? Porque desagradaria a população, o prefeito, pouquíssima gente iria e o movimento de dinheiro, no geral, seria pouco também.

    Acorda igreja, o que devemos seguir são os ensinamentos de Deus e não de uma igreja, porque a igreja instituição tem muitas falhas. E porque não consertam? Não sei. Talvez seja pra se cumprir o que Jesus disse, essas igrejas tem que existir.

    Queridos, a igreja tem que agradar a Deus e não ao homens. Podem me chamar de herege o quanto quiser, não me importo. Só quero que Deus me chame de filha e fiel, Ah! Isso eu quero muito.
    Tem outros pontos a debater sobre a igreja, mas fica para outra oportunidade para não misturas os assunto ;)

    Fica com Deus meu querido e que a paz Dele encha seu coração.
    Abraços

    ResponderExcluir
  4. Caríssima, tomarei a liberdade de te responder num artigo em separado, ok?
    Assim que eu escrever, eu posto.

    ResponderExcluir

  5. O SÉTIMO DIA
    (DN.4.2) Pareceu-me bem fazer conhecidos os sinais e maravilhas que Deus, o Altíssimo, tem feito para comigo,; (EF.2.7) para mostrar nos séculos vindouros a suprema riqueza da sua graça em bondade para conosco em Cristo Jesus; (1CO.15.45) pois assim está escrito:
    (GN.2.3) – E ABENÇOOU DEUS O DIA SÉTIMO, E O SANTIFICOU; PORQUE NELE DESCANSOU DE TODA A OBRA QUE, COMO CRIADOR, FIZERA: (AR.85.6)
    E o que o Senhor quer dizer com as 85 letras e 6 sinais acima é isto:
    SOU O ESPÍRITO QUE DESCEU DO CÉU, CRIANDO A SUA FÉ; E FAÇO SANTO O QUE É BATIZADO COM NOME DE ARNALDO RIBEIRO: (IL.85.6)
    (Lc.12.50 – Tenho, porém, um batismo com o qual hei de ser batizado; e quanto me angustio até que o mesmo se realize; (IS.21.16) porque assim me disse o Senhor: (1RS.18.31) Israel será o teu nome, (LS..9.6) porque ainda que algum seja consumado entre os filhos dos homens, se estiver ausente dele a tua sabedoria, será reputado como nada.(LC.4.21) Hoje se cumpriu a escritura que acabais de ouvir: (LC.6.5) O Filho do Homem é Senhor do sábado:
    E agora José? Ou melhor, Chico?...

    ResponderExcluir

Fique à vontade para comentar. Mas, se for criticar, atenha-se aos argumentos. Pax.

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...